A peregrinação em busca das ondas gigantes de Nazaré

A pequena Nazaré já era conhecida por ser um dos principais destinos do turismo religioso de Portugal, junto com Fátima, que fica a 50km dali, mas há 5 anos a cidade ficou mais famosa pela força do mar após um surfista norte-americano ter batido o recorde mundial de maior onda surfada (30 metros!) na Praia do Norte.

nazare (9).JPG
Nazaré vista das trilhas até o Farol

Desde então, o número de surfistas profissionais e amadores que peregrinam anualmente até Nazaré não para de aumentar. Em outubro começou a chamada “temporada de espera” no Nazaré Challenge, desafio mundial de surf que atrai profissionais de todo o mundo. Entre eles, a surfista brasileira Maya Gabeira, que em 2013 sofreu um acidente grave neste local.

nazare (8).JPG
Ponto mais ao sul da Praia de Nazaré

Apesar de estar a caminho de tornar-se o principal destino dos surfistas na Europa, Nazaré reserva um espaço para quem não tem habilidade e coragem para enfrentar as ondas gigantes. Dos mirantes do Farol do Forte de São Miguel, localizado na ponta da falésia que divide as praias de Nazaré e do Norte, diariamente centenas de pessoas assistem os surfistas enfrentando a força das águas.

nazare (10).JPG
Forte de São Miguel visto da Praia do Norte

Para ver as maiores ondas, quem conhece bem o mar recomenda acordar cedo ou optar pelo fim da tarde. “Quando a maré está alta”, responde um pescador local ao ser questionado sobre o melhor horário para observar as ondas de Nazaré. Enquanto os pescadores, todos homens, estão trabalhando em alto mar, as nazarenas ficam na cidade e tomam conta de toda a vida em terra.

nazare (7).JPG
Praia de Nazaré

Muitas delas trabalham oferecendo alojamento para os visitantes ou vendendo castanhas e outros produtos locais. As nazarenas usam as tradicionais “sete saias”, um costume local que dizem representar atribuições bíblicas, míticas e mágicas que envolvem o número sete, como as sete virtudes, os sete dias da semana ou as sete ondas do mar. Nos dias de muito calor, confessam as simpáticas senhoras, diminuir o número de saias para duas ou três é permitido.

nazare (6).JPG
Nazarena, a tradicional moradora local, nas ruas de Nazaré

Na parte baixa da cidade, onde está o centro histórico e muito comércio, as ruas estreitas e retas terminam todas na beira-mar. A praia é extensa tanto em comprimento quanto em largura da faixa de areia. Dificilmente favorece um mergulho tranquilo, já que o mar está quase sempre nervoso.

nazare (3).JPG
Caminho de escadas que leva do centro ao Sítio

Para chegar ao local onde Nossa Senhora de Nazaré operou um milagre há um elevador ou um caminho de escadas. Ambos levam ao “Sítio”, como ficou conhecido o lugar do Santuário dedicado à Santa. Na beira da falésia, onde acaba o caminho de escadas, está o mirante do Suberco, que oferece uma vista do centro da cidade e da praia. Numa face do paredão de pedras está um mural recente assinado pelos artistas brasileiros Erick Wilson e Frank Wilson, que pode ser visto do elevador durante a subida.

nazare (4).JPG
O elevador de Nazaré

No Sítio há diversas lojas de produtos locais, como comida e artesanato, a igreja e alguns restaurantes no entorno da praça. Um monumento na beira da encosta lembra que o navegador Vasco da Gama esteve no local antes de suas duas viagens às Índias para pedir a benção de Nossa Senhora de Nazaré (Pedro Álvares Cabral também veio aqui antes da viagem de 1500).

nazare (1).JPG
O monumento na ponta da falésia que lembra o navegador Vasco da Gama

Ao lado do monumento que lembra a devoção do principal navegador português está a pequena gruta que guarda uma imagem da Santa desde que esta salvou a vida de Dom Fuas Roupinho em 1182. Foi nesse local, segundo a lenda, que Nossa Senhora atendeu as preces do cavaleiro e evitou que ele e seu cavalo caíssem de uma altura de mais de cem metros.

O ponto do milagre continua em pleno funcionamento, digo eu. Veja esse vídeo e entenda:

Do Sítio até o Farol são poucos metros que podem ser feitos de carro ou pelas trilhas na beira da falésia. Na lateral do farol há uma escada que leva a um ponto de onde é possível observar bem de perto as ondas estourando na pedra.

O que fazer em Nazaré:

Praia de Nazaré: a praia do centro histórico da cidade é extensa e tem um mar tão agitado quanto a dos surfistas.

Elevador: um passeio de poucos segundos que ajuda a poupar alguns minutos de caminhada para chegar no Sítio.

DSC_0661 (2).JPG
Opção ao elevador é caminhar até este mural

O Sítio: o local do milagre de Nazaré, há o Santuário, a capela, uma praça e muitas lojas de artesanato local.

Mirante do Suberco: perto do Sítio, oferece vista panorâmica do centro de Nazaré.

nazare (5).JPG
O mirante

Farol do Forte de São Miguel: na ponta que divide as praias de Nazaré e do Norte. É a arquibancada de quem vai a Nazaré para ver os surfistas ou fazer fotos.

Praia do Norte: local de surf, ondas fortes em boa parte de sua extensão.

nazare (12).JPG
Praia do Norte
Anúncios

3 comentários sobre “A peregrinação em busca das ondas gigantes de Nazaré

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s